Após concluir obra paralisada por anos, Prefeitura entrega casas do Rui Pimentel para 260 famílias

A segunda-feira (7) foi de festa para 260 famílias que receberam das mãos do prefeito Marquinhos Trad, a tão sonhada chave de suas casas. Essas unidades integram o Residencial Rui Pimentel I e II, obra contratada através do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, em 2012, e que após mais de quatro anos com as obras paralisadas, a Prefeitura de Campo Grande retomou o projeto e, com isso, cumpre mais esse compromisso de atender essas pessoas que, a partir de agora, poderão recomeçar suas vidas com uma moradia digna.

Recomeçar é exatamente o desejo da funcionária pública Sidineia Ledesma, 37 anos, que após uma separação, se viu junto com seus seis filhos, sem IMG_6127um teto para seguir adiante. “Não é fácil pagar aluguel e manter uma casa sozinha com seis filhos. Só Deus sabe o quanto eu esperei. Em 2012, me separei e não tinha pra onde ir. Foram anos sofrendo com todos esses problemas que atrasaram essa obra. Uma hora era empreiteira que ficava desistindo e aí problema com os antigos prefeitos, até que surge uma luz no fim do túnel: foi quando o prefeito Marquinhos trouxe a solução e hoje estamos aqui vivendo esse momento”, contou.

Gratidão é o sentimento que a jardineira Maria do Carmo Ferreira, 54 anos, carrega no peito. Ela conta que fez sua inscrição na Agência de Habitação há 20 anos, e que nunca perdeu a esperança de que chegaria sua vez. “Em primeiro lugar agradeço a Deus e depois ao Marquinhos, por ter retomado essa obra. Eu não acreditava que justamente na hora que fui contemplada a obra parou. Mas eu sabia que Deus iria nos enviar alguém que olhasse por mim e aqui estou. Sei que é a vontade de Deus. Tenho três filhos, sendo que um morreu por causa das drogas e o outro está preso. Mas essa casa veio para que a minha família tivesse uma nova chance de recomeçar”.

Ao lembrar que há um tempo para cada propósito debaixo do céu, o prefeito Marquinhos Trad disse às famílias contempladas que o momento agora é de reescrever suas histórias. “Muitas pessoas me perguntaram ‘porque só agora vocês estão entregando?’ E eu só posso dizer que apenas nosso Senhor IMG_6022Jesus Cristo poderia nos dizer. O que importa agora é celebrar já que conseguimos encontrar uma solução para finalizar esse empreendimento e estamos aqui hoje para comemorar essa vitória com vocês, fazendo a entrega dessas unidades, que estão totalmente prontas e com toda a infraestrutura para receber de imediato as famílias”, disse.

Para que fosse concluída, a obra contou com aporte financeiro oriundo de uma parceria da atual gestão da Prefeitura de Campo Grande e o governo do Estado. Em sua fala, o governador Reinaldo Azambuja destacou a importância da parceria do município e governo, que nos últimos três anos conseguiram e unir para entregar uma série de obras que estavam abandonadas ao logo dos anos. “A partir de 2016 eu e o Marcos construímos uma parceria, olhando Campo Grande através das pessoas e, a partir daí buscamos juntos resolver os problemas com responsabilidade e mostrando que quando se sabe administrar as coisas acontecem”.

Fim das obras

O Residencial Rui Pimentel I e II possui 260 unidades habitacionais que deverão atender mais de mil cidadãos que se encontravam em situação de vulnerabilidade. O projeto havia sido contratado em 2012, por meio do Programa Minha Casa Minha Vida, com recursos do FAR (Fundo de IMG_5830Arrendamento Residencial) oriundo do Governo Federal. Desde então, as famílias que se cumpriram os critérios do PMCMV aguardavam a finalização das obras.

O sonho teve de ser adiado, já que a empreiteira contratada à época pelo agente financeiro e detentor legal deste empreendimento (Caixa Econômica Federal) decretou falência com cerca de 90% das obras concluídas. Diante de cláusula do PMCMV, em que impede a entrega parcial de unidades habitacionais de interesse social, as obras ficaram paralisadas cerca de dois anos após o início das construções.

Desde 2017, início da atual gestão do Executivo Municipal, uma das prioridades da Agência Municipal de Habitação era destravar os recursos federais para o término das obras do residencial Rui Pimentel. Após diversas negativas do Governo Federal em liberar os recursos necessários para a conclusão das obras, em uma ação inédita entre Prefeitura de Campo Grande e Governo do Estado, ambos aportaram os recursos requeridos a fim de entregar as unidades habitacionais o mais rápido possível.

O Residencial Rui Pimentel I e II, localizado no Bairro Centro-Oeste, região urbana do Anhanduizinho, é composto por 260 casas, sendo oito adaptadas a PCD (Pessoas Com Deficiência). Cada unidade habitacional possui 38,38 metros quadrados e as adaptadas têm 40,12 metros quadrados cada.

As moradias possuem sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço. O empreendimento possui centro comunitário, playground e infraestrutura com pavimentação asfáltica, drenagem, energia elétrica, rede de água e esgoto. O aporte inicial de recursos via FAR foi da ordem de R$ 13.813.858,33.


Crédito imagem: Foto: DIOGO GONÇALVES

Crédito matéria: DA REDAÇÃO COM ASSESSORIA